Alerta da Sociedade Brasileira de Dermatologia sobre Câncer de Pele no Brasil

27/04/2016
Alerta da Sociedade Brasileira de Dermatologia sobre Câncer de Pele no Brasil

Dia 8 de Abril foi o dia Mundial do Combate ao Câncer. Dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) estimam que, em 2016, serão contabilizados cerca de 175 mil novos casos de câncer da pele não melanoma no Brasil. Os principais tipos que ocorrerão no País serão, por ordem de incidência, os da pele não melanoma (para ambos os sexos), o de próstata e o de mama.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, no ano 2030, existirão 27 milhões de casos novos de câncer, 17 milhões de mortes pela doença e 75 milhões de pessoas vivendo com câncer. O maior efeito desse aumento incidirá em países em desenvolvimento. Indivíduos que vivem em centros urbanos são mais suscetíveis porque a poluição atmosférica dos centros urbanos potencializa os efeitos danosos da radiação solar.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia afirma que a maioria dos casos de câncer da pele podem ser evitados com medidas simples de fotoproteção, adotadas no dia-a-dia. A Instituição reforça ainda que a proteção solar é um conjunto de atitudes:

  • Usar chapéus, camisetas e protetores solares.
  • Evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16h (horário de verão).
  • Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta. As barracas de nylon formam uma barreira pouco confiável: 95% dos raios UV ultrapassam o material.
  • Usar filtros solares diariamente, e não somente em horários de lazer ou diversão. Utilizar um produto que proteja contra radiação UVA e UVB e tenha um fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo. Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades de lazer ao ar livre. Ao utilizar o produto no dia-a-dia, aplicar uma boa quantidade pela manhã e reaplicar antes de sair para o almoço.
  • Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas.
  • Consultar um dermatologista uma vez ao ano, no mínimo, para um exame completo.
  • Manter bebês e crianças protegidos do sol. Filtros solares podem ser usados a partir dos seis meses.

A melhor forma de evitar a doença é a prevenção!

Voltar para Blog
Whatsapp Clique para entrar em contato